The Role of Evaluation in the Brazilian Education System

  • Olgaíses Cabral Maués

Resumen

As a result of the reforms to the Brazilian state implemented in 1990s, educational evaluation policies have gained more and more centrality. These policies are shaping the education system under the logic of the market and are shifting state responsibilities into the hands of civil society.

The reformed state in its role of regulator establishes all the processes for the functioning of society (including the education system), decentralizes actions to implement new policies, establishes objectives, conditions funding based on reached goals and establishes an evaluation system that can guarantee ‘expected results’.

Biografía del autor/a

Olgaíses Cabral Maués

Professor at the Universidad Federal de Pará (Brazil), holds a PhD in Education and a Post Doctorate in Education Sciences. Researcher 1 from CNPq.

Citas

AFONSO, A.J. (2005) Avaliação Educacional. Regulação e Emancipação. São Paulo: Cortez Editora.

BALL, S. J. (2002) “Reformar escolas/reformar professores

e os terrores da performatividade”. Revista Portuguesa de Educação, v. 15, n. 2, p. 3-23.

BRASIL. Portaria nº 1.795, de 27 de dezembro de 1994. Cria o Sistema Nacional de Educação Básica. Disponível http://www.prolei.inep.gov.br/exibir.do;jsessionid=

B30C354C44A5A8464E635A5485B94EA?URI=

http%3A%2F%2Fwww.ufsm.br%2Fcpd%2Finep%-

Fprolei%2FDocumento%2F-5255799918844570642.

Acesso abril. 2007

BRASIL. Lei nº 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação- PNE e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

Acesso out 2014

BROADFOOT, P. (2000). Un nouveau mode de

régulation dans un système descentralisé : L’État évaluateur.

Revue Française de Pédagogie, nº 130, janvier-

février-mars, pp. 43-55.

DALE, R. (2004) Globalização e Educação: Demonstrando

a Existência de uma “Cultura Educacional

Mundial Comum” ou Localizando uma “Agenda

Globalmente Estruturada para a Educação”. Revista

Educação & Sociedade, Campinas, vo. 25, n.87, p. 423-

, maio/agosto.

DALE, R.(2009) Os diferentes papéis, propósitos

e resultados dos modelos nacionais e regionais de

educação. Educação & Sociedade, Out 2009, vol.30,

no.108, p.867-890.

EDUCARED. Por qué desarrollar estándares en educación?

Disponível http://www.educared.pe/docentes/

articulo/1145/por-que-desarrollar-estandares-en-educacion.

Acesso dez 2010.

KRAWCZYK. N. R O PDE: novo modo de regulação

estatal? Cadernos de. Pesquisa. vol.38 no.135 São

Paulo Sept./Dec. 2008; Disponível http://www.

scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=

S0100-15742008000300013. Acesso em jan 2009.

FELDFEBER, M. (2009) Los sentidos de lo público.

Reflexiones desde el campoe educativo. Existe un espacio

público no estatal? Buenos Aires: Noveduc.

MEC/INEP. PISA. Disponível em

http://portal.inep.gov.br/pisa-programa-internacional-

de-avaliacao-de-alunos. Acesso jan 2016.

PREAL. Las evaluaciones educativas que América

Latina necesita. Documento no. 40, 2008. Disponível

http://www.oei.es/evaluacioneducativa/evaluaciones_

educativas_AL_necesita_preal.pdf. Acesso mar 2009.

PREAL. Saindo da Inércia? Boletim da Educação

no Brasil, Preal, 2009. Disponível http://www.lge.org.

br/2010/estudos_seminarios_02.php?materia=87. Acesso

Nov 2010.

SANTOS, L. C.P. (2004). Formação de Professores

na Cultura do Desempenho. Educação & Sociedade,

Campinas, vol 25, n. 89, p. 1145-1157.

Publicado
2017-12-21